Existem na Bíblia referências a alguns personagens muito estranhos, muito misteriosos - os gigantes. Das vezes em que são citados, podemos tirar algumas conclusões:

1. Definitivamente não pertenciam a qualquer povo, tribo ou nação;

2. Os nomes com que eram designados - Nefilins, Refaíns, Emins, Anaquins, Enaquins, Zanzumins, Zuzis, são todos ADJECTIVOS, significando: "poderosos", "fortes", "valentes", "guerreiros", etc., porém com um significado particular, próprio deles, os GIGANTES;

3. Estranhamente, TODOS ELES PERTENCIAM AO SEXO MASCULINO!

4. Alugavam-se a nações guerreiras para lutarem como mercenários. Tal era o caso de Golias, o qual era filisteu, mas ao que tudo indica, era apenas naturizado.

O termo hebraico NEPHEL pode significar um monstro ou um homem terrível que domina ou vence outros homens. A Bíblia fala desses NEFILINS, chamando-se de "gigantes".

" Havia naqueles dias gigantes na terra, e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens, e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama. "Gen. 6:4

Observe quantos sinónimos, quantas tentativas de definir ou classificar aqueles personagens: "gigantes", "valentes", "varões de fama". A Tradução Brasileira transliterou a palavra e traduziu assim: " Havia naqueles dias NEFILINS na terra ... "

Alguns pesquisadores acham que este termo "NEFILINS" traduzido levando-se em conta o prefixo NEPH, pode significar "CAÍDOS", o que deu a ideia para alguns, dos anjos caídos que tomaram corpos e se uniram a mulheres da terra.

Na mitologia greco-romana e de outros povos, existem os relatos dos semi-deuses que desciam à terra e eram meio deuses e meio homens, os quais tomavam mulheres humanas para se casarem com elas. Os modernos Dannikens e Kolosimos vão mais além na sua imaginação, e chegam a afirmar que esses "caídos" eram na realidade "descidos", astronautas, provenientes de outros sistemas solares ou estelares, os quais se casaram com as terráqueas. O facto verdadeiro, é que houve gigantes antes e depois do dilúvio. O poderoso caçador, Nimrode, líder de Babel, poderia muito bem ser um deles. Quando o povo foi espalhado por toda a face da terra, a ideia dos gigantes permaneceu. Em todas as tradições folclores, lendas e contos de fadas, aparece a figura de gigantes, génios, ogros, monstros, etc. Até em alguns idiomas orientais, permaneceu o sufixo hebraico, como é o caso dos DJINS dos árabes.

As referências dos paleontologistas a homens monstruosos que viveram antes do chamado "homo sapiens", supostamente seus antepassados, referências estas baseadas em achados de ossos maiores do que o normal e não pertencentes a qualquer animal classificado, podem tratar-se simplesmente de ossos de refains / nefilins. Então o homem de Neanderthal, o Cro-Magnon, o Javantropo, o Sinantropo, o "Homo Pekinensis", o Austroplopiteco e outros, podem ter sido simplesmente refains ou nefilins.

Os ANAQUINS, ou filhos de Anaque, foram os mais famosos gigantes da Palestina. Eles habitavam perto de Hebrom: A estatura deles era tão além do normal que dez dos doze espias que foram enviados a Canaã compararam-se a gafanhotos diante deles.

"Também vimos ali gigantes, filhos de Anaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos. "Núm. 13:33

Agora, de onde vieram esses gigantes ? Como surgiram ? Que terrível acidente genético trouxe à luz esses seres monstruosos ?

a) Uma primeira conclusão é que indubitavelmente havia uma semente ou geração maldita na terra, antes do dilúvio;

b) Outra conclusão é que esta aberração genética surgiu concomitantemente à união espúria dos filhos de Deus com as filhas dos homens (no original, "com as mulheres dos homens"), em Génesis 6;

c) Uma terceira conclusão, inferida do texto bíblico é que, logo após as filhas dos homens terem gerado filhos, estes filhos nasceram deformados, gigantescos. A tradução de "estes eram os valentes" (Gen. 6:4) pode ser substituída tranquilamente por "estes eram os gigantes".

d) Estranhamente, logo depois desta consequência genética, Deus viu que "a maldade do homem SE MULTIPLICARA sobre a terra" (Gen. 6:5ª) a resolveu limpar a terra de toda a semente maligna.

Noé achou graça diante de Deus, exactamente porque era íntegro "em suas gerações". A sua semente era bendita pura e santa.

O estranho, porém, é que a semente maligna sobreviveu ao dilúvio e, depois deste, aparece novamente. Os gigantes proliferaram novamente e como Deus prometera que não mandaria mais dilúvio sobre a terra, Ele resolveu mandar eliminar povos inteiros, inclusive mulheres, crianças e os que mamavam, como aconteceu com os amalequitas e os fereseus, heteus, horeus, etc.

Vejamos o aparecimento dos gigantes depois do dilúvio:

"Os emins dantes habitavam nela; um povo grande e numeroso, e alto como os gigantes; também estes foram contados por gigantes como os anaquins; e os moabitas lhes chamavam emins." Det. 2:10,11

Esses povos, aparentemente sem qualquer tradição étnica:

"Depois nos viramos e subimos o caminho de Basã: e Ogue, rei de Basã nos saiu ao encontro, ele e todo o seu povo, a peleja em Edrei. Então o Senhor me disse: Não o temas, porque a ele e a todo o seu povo, e a sua terra, tenho dado na tua mão; e far-lhe-ás como fizeste a Siom, rei dos amorreus, que habitavam em Hesbom. "

"E também o Senhor nosso Deus nos deu na nossa mão a Ogue, rei de Basã, e a todo o seu povo; de maneira que o ferimos, até que NINGUÈM lhe ficou de restante. E naquele tempo tomamos todas as suas cidades; nenhuma cidade houve que lhes não tomássemos: sessente cidades, toda a borda da terra de Argote, o reino de Ogue em Basã. "

"Todas estas cidades eram fortificadas com altos muros, portas e ferrolhos; além de outras muitas cidades sem muros. e destruimo-las como fizemos a Siom, rei de Hesbom, DESTRUINDO TODAS AS CIDADES; HOMENS; MULHERES E CRIANÇAS. Porém todo o gado, eo despojo das cidades, tomamos para nós por presa."

"Porque só Ogue, rei de Basã FICOU DO RESTO DOS GIGANTES; eis que o seu leito, um leito de FERRO, não está porventura em Rabá dos filhos de Amom? de nove côvados o seu comprimento, e de quatro côvados a sua largura, pelo côvado dum homem."(Deut. 3:1-7,11)

Transcrevemos este texto tão extenso, porque ele é de importância capital para o nosso estudo. Eis algumas conclusões que dele tiramos.

1. A importância desta batalha foi muito grande, pois estes dois reis, Ogue, rei de Basã e Siom, rei dos amorreus, são citados em vários lugares da Bíblia. Porquê ?

2. Sem qualquer motivo aparente, aquele rei veio a combater Israel;

3. Ogue era um rei-gigante: O seu leito era de ferro para poder suportar o seu enorme peso. Pelo tamanho da sua cama poderemos deduzir de que tamanho era aquele ser monstruoso. A sua cama tinha aproximadamente 4 metros de comprimento e 2 metros de largura;

4. Este é mais um relato em que Deus manda matar todo o povo, incluindo mulheres crianças e recém-nascidos. Deus tinha a intenção de extirpar da face da terra todos estes povos cuja semente estava conspurcada por esse hibridismo maligno, por esses genes estranhos!

De todas essas gerações de gigantes muita ênfase é dada aos REFAINS. Algumas vezes este termo parece designar todos eles.

"Mas vieram os filisteus, e se estenderam pelo vale de REFAIM."II Sam. 5:18

O adjectivo passou a ser substantivo. Isto revela o grau de importância que os refains receberam. Apesar de os gigantes terem outros nomes, com o tempo foram ficando apenas com o nome de Refains.

"Ao décimo quarto ano veio Quedorlaomer, e os reis que estavam em Astarote-Carnaim, e os zuzins em Hã, e os emins em Savé-Quiriataim. "Gen. 14:5

Refains, zuzins e emins são extamente a mesma coisa: valentes, guerreiros, gigantes.

"E depois disto aconteceu que, levantando-se guerra em Gezer com os filisteus, então Sibecai, o husatita, feriu a Sipai dos filhos de Rafa; e ficaram abatidos." I Cr. 20:4 ERC

Na Edição Revista e Corrigida ao pé da página encontraremos uma referência : "h que é gigante".

Vejamos agora I Crónicas 20:4-8, na Tradução Revista e Actualizada que traduziu "gigantes" directamente. Estes "filhos de Rafa", são o mesmo que "Filhos de Repha" ou "refains", "gigantes".

"Depois disto houve guerra em Gezer contra os filisteus; entaão Sibeecai, o husatita, feriu a Sipai, que era descendente dos gigantes; e os filisteus foram subjugados. Houve ainda outra guerra contra os filisteus; e Elana, filho de Jair, feriu a Lami, irmão de Golias, o geteu, cuja lança tinha a haste como seixo de tecelão. Houve ainda outra guerra em Gate; havia ali um homem de grande estatura, tinha vinte e quatro dedos, seis em cada mão e seis em cada pé: também, este descendia dos gigantes.

"Quando ele injuriava a Israel, Jónatas, filho de Simei, irmão de Davi, o feriu. Estes nasceram dos gigantes em Gate; e caíram pela mão de Davi e pela mão de seus homens." I Cr. 20 :4-8

Em II Samuel 21:15-22 descobrimos que, no relato da mesma guerra, houve mais um gigante que foi morto por Davi e seus homens.

Vejamos ainda mais algumas referências aos gigantes:

"Os emins dantes habitavam nela, povo grande, numeroso, e alto como os enaquins; também eles foram considerados refains, como os enaquins; e os moabitas lhes chamavam emins." Dt. 2:10,11

"Porque só Ogue, o rei de Basã, restou dos refains (ou gigantes na RC); eis que o seu leito, leito de ferro, não está porventura em Rabá dos filhos de Amom, de nove côvados o seu comprimento e quatro a sua largura, pelo côvado comum ?"Dt. 3:11

"Todo o reino de Ogue em Basã, que reinou em Astarote em Edrei, que ficou do resto dos gigantes, o qual Moisés feriu e expulsou." Js. 13:12

"E o resto de Gileade, como também todo o Basã, o reino de Ogue dei à meia tribo de Manassés; toda aquela borda da terra de Argobe, por todo o Basã, se chamava a terra dos gigantes." Dt. 3:13

"Deste ponto sobe pelo vale do filho de Hinom, da banda dos jebuseus do sul, isto é, Jerusalém; e sobre este termo até ao cume do monte que está diante do vale de Hinom para o ocidente, que está no fim do vale dos refains, da banda do norte." Js. 15:8

Vemos aqui uma referência muito significativa relacionando os gigantes - refains com o vale de Hinom, ou Ge-Himnom, que deu "GEENA", ou "INFERNO". A palavra «INFERNO» é usada para traduzir um termo grego que é uma transliteração do termo hebraico Ge-Himnom, isto é, vale de Hinom ou de lamentações. Este vale estava localizado imediatamente ao sudoeste da cidade de Jerusalém. Nos tempos antigos havia sido o lugar de culto ao deus Moloque, que incluía holocausto de crianças vivas. Tal prática foi abolida pelo rei Josias (I Reis 23:10), e o lugar chegou a ser usado pelo povo judaico como um grande depósito de lixo, incluindo o refugo da cidade, os cadáveres de animais e até os de criminosos cujas famílias não lhes ofereciam sepultura. Ardia continuamente o fogo, a bem do propósitos sanitários. O termo « a geena de fogo » chegou a ser termo geralmente aceito e usado para descrever aquilo que era abominável.

"Disse-lhe Josué: Se és grande povo, sobe ao bosque e abre ali clareira na terra dos fereseus e dos refains." Js. 17:15

"Desce o termo até a extremidade do monte que está defronte do vale do filho de Hinom, ao norte do vale dos refains, e desce pelo vale de Hinom banda dos jebuseus para o sul; e baixa à fonte de Rogel." Js. 18:16

No livro de Jó encontramos esta referência : " Fere-me com ferimento sobre ferimento, arremete contra mim como um guerreiro. "Jó 16:14

No original em algumas traduções estrangeiras, esta expressão "um guerreiro" é na realidade um "gigante".

Agora, vamos falar de um assunto muito polémico. Por amor a TODA a verdade é que o mencionamos, embora sabendo que servirá de espanto para muitos.

Existe uma clara referência, não obstante ter ficado somente no original, de que esta geração maldita de híbridos JAMAIS RESSUSCITARÁ !

A Bíblia diz que haverá duas ressurreições distintas, separadas por mil anos uma da outra. Vemos com clareza nas Sagradas Escrituras que todos os homens ressuscitarão, uns para o gozo eterno outros para o sofrimento e vergonha eternos. Então como é que podemos especular a respeito de um assunto tão controverso ?

Bem, apesar de haver apenas uma referência clara e directa, existem outras que respaldam estas outras que citaremos. Nesta referência Bíblica você pode pesquisar no hebraico que a palavra REFAIN que deveria ter sido traduzida para "gigantes", foi traduzida para outra expressão que não tem nada a ver com o original. Conseguimos para ela a tradução de SOMBRAS a qual nem de longe é a expressão do original. Eis o texto:

" Mortos não tornarão a viver, SOMBRAS NÃO RESSUSCITAM; por isso os castigaste e destruístes, E LHE FIZESTE PERECER TODA A MEMÓRIA. "Is. 26:14

Não é um contraste gritante este texto com todo o resto da Bíblia, se pensarmos nestes mortos como mortos comuns, pessoas normais? No entanto se traduzirmos correctamente o versículo, veremos sentido real no que está escrito:

"Mortos não tornarão a viver, GIGANTES NÃO RESSUSCITAM. "

É claro que sombras não ressuscitarão, pois sombras NEM MORREM ! O que a Bíblia está a dizer aqui, é que os REFAINS, depois de mortos NÃO RESSUSCITARÃO. Veremos outros textos paralelos.

"Fez-me habitar em lugares tenebrosos, como (da mesma forma que ) os que ESTÃO MORTOS PARA SEMPRE. "Lm. 3:6

Outro tradutor da Bíblia, temerosamente traduziu assim este versículo:

" ... como os que estavam mortos há muito."

Observe que a palavra "ESTAVAM" encontra-se gravada em itálico. Isto significa que houve uma adaptação do pensamento do tradutor e não uma tradução ao pé da letra. A tradução ao pé da letra é:

" ...aqueles que ESTÃO mortos para sempre. "

Leiamos agora o Salmo 88, principalmente os versículos 3 a 5 e veremos como o escritor se refere a uma terra do esquecimento, um local de mortos do qual, em linguagem antropomórfica, "nem Deus se lembra".

E se tivermos a curiosidade de pesquisar mais, encontraremos inúmeros textos semelhantes ao agora citado, que falam dos "feridos de morte" ou "trespassados" que estão para sempre enterrados e esquecidos.

É quase incrível que alguém possa morrer e não ressuscitar; alguém sobre quem a ira de Deus abateu-se de tal forma que a sua morte torna-se morte de animal irracional.

O facto bíblico e insofismável é que os gigantes / refains existiram e que Deus os destruiu. Eles não deixaram descendentes até os nossos dias, pois eram machos híbridos, algo FORA DO PLANO ORIGINAL DE DEUS !

Quem eram, de onde vieram, como surgiram, para onde foram e se ressuscitarão ou não. é algo que só descobriremos na universidade celeste.

Alguns textos onde aparece a palavra REFAINS no original. Citadas como estão no original, embora se as conferir-mos na tradução em Português venhamos a encontrar outras palavras no lugar.

"Os REFAINS mortos tremem debaixo das águas com os seus habitantes. " Jó 26:6

" Mostrarás, tu, prodígios aos mortos, ou os REFAINS se levantarão para te louvar ?" Sl. 88:10

Ao lermos o original é nos clara a ideia exposta.

" Porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para o reino do REFAINS MORTOS. " Prv. 2:18

" Ele, porém, não sabe que ali estão os REFAINS; que os seus convidados estão nas profundezas do inferno. " Prv. 9:18

" O homem que se desvia do caminho do entendimento, na congregação dos REFAINS repousará. " Prv. 21:16

O erudito teólogo Schwally (Leben Nach Dem Tode, pg. 64), ressalta que os hebreus passaram a usar o termo REFAIN para designar "FANTASMAS", e que o termo hebraico para fantasmas guarda uma semelhança enorme com a expressão "GIGANTES EXTINTOS".

OUTRAS REFERÊNCIAS:

Bíblia de Jerusalém

" Pois quando, nas origens, pereciam os gigantes orgulhosos, a esperança do mundo se refugiou numa jangada que, pilotada por tua mão, aos séculos transmitiu a semente da vida. " Sab.14:6

" Deus não perdoou os gigantes de outrora que se rebelaram, prevalecendo-se de suas forças. " Eclo. 16:7

" Não teve piedade da raça maldita (os antigos habitantes de Canãa) que se prevaleciam de seus pecados " Eclo. 16:9

" Escuta, Israel, os mandamentos de vida; presta ouvidos, para conheceres a prudência. Porque, Israel, porque te encontras na terra dos teus inimigos, envelhecendo em terra estrangeira ? Porque te contaminas (lit. tu és semelhante) com os mortos, e te puseste no número dos que vão para o Hades ? É que abandonaste a fonte da Sabedoria ! Se tivesses prosseguido no caminho de Deus, habitarias na paz para sempre. Aprende, pois, onde está a prudência, onde a força e a inteligência, para conheceres ao mesmo tempo onde se encontra a longevidade e a vida a luz dos olhos e a paz. Entretanto, quem é que descobriu seu paradeiro e quem penetrou em seus tesouros ? Onde estão os governantes das nações e os domadores das feras sobre a terra, os que se divertem com as aves dos céu e os que acumulam a prata e o ouro, na qual os homens confiam, e cujas posses são sem limites, os que trabalham a prata e se afligem e no entanto suas obras não deixam traço ? Desapareceram e desceram ao Hades, enquanto outros surgiram em seu lugar: uma nova geração viu a luz e habitou sobre a terra, mas não conheceram o caminho da ciência; .... os seus filhos ficaram longe do seu caminho. Não se ouviu falar dela em Canaã nem alguém a viu em Temã, os contadores de fábulas e os desejosos de inteligência não chegaram a conhecer o caminho da sabedoria nem se recordam de suas veredas. Como é grande ó Israel a morada de Deus, e como é vasta a extensão do seu domínio, grande e sem fim, e elevada e sem medidas ! É lá que nasceram os gigantes, famosos desde as origens, descomunais na estatura e adestrados na guerra. Mas não foi a eles que Deus escolheu, nem a eles indicou o caminho da ciência. Por isso pereceram, por não terem a prudência; pereceram por sua irreflexão. ... " Baruque 3:9-28

A morte do rei da Babilónia

" E sucederá, que no dia em que Iahweh te der descanso do teu sofrimento, da tua inquietude e da tua dura servidão a que foste sujeitado, que entoarás esta sátira a respeito do rei da Babilónia: Como terminou o opressor ? Como terminou a arrogância ? Iahweh quebrou a vara dos ímpios, o cetro dos dominadores, daquele que feria os povos com furor, que feria com golpes intermináveis, que com ira dominava as nações, perseguindo-as sem que o pudessem deter. O mundo inteiro repousa, está tranquilo; todos rompem em canto de alegria. Até os ciprestes se regozijam por causa de ti, bem como os cedros do Líbano: "Depois que jazes caído, ninguém mais sobe até aqui para pôr-nos abaixo!" Nas profundezas, o Xeol se agita por causa de ti, para vir ao teu encontro; para receber-te despertou os mortos, todos os potentes da terra, fez erguerem-se dos seus tronos todos os reis das nações. Todos eles se interpelam e se dizem : " Então, também tu foste abatido como nós, acabaste igual a nós. O teu fausto foi precipitado no Xeol, justamente com a música das tuas harpas. Sob o teu corpo os vermes formam como um colchão, os bichos te cobrem como um cobertor. Como caíste do céu, ó estrela d`alva, filho da aurora ! Como foste atirado à terra, vencedor das nações ! E, no entanto, dizias no teu coração: Hei-de subir até ao céu, acima das estrelas de Deus colocarei o meu trono, estabelecer-me-ei na montanha da Assembleia, nos fins do norte. Subirei acima das nuvens, tornar-me-ei semelhante ao Altíssimo. E, contudo, foste precipitado no Xeol, nas profundezas do abismo. " Os que te vêem fitam os olhos em ti, estes observam com toda a atenção, perguntando: "Porventura é este o homem que fazia tremer a terra, que abalava reinos ? Que reduziu o mundo a um deserto, arrasou as suas cidades e nunca permitiu que voltassem para a sua pátria os seus prisioneiros ? Todos os reis das nações repousam com honra, cada um no seu jazigo. Tu, porém, foste lançado fora da tua sepultura, como um ramo abominável, rodeado de gente imolada, trespassada à espada, atirada sobre as pedras da fossa, como uma carcaça pisada aos pés. Tu não te reunirás àqueles na sepultura, pois que arruinaste a tua terra, fizeste perecer o teu povo, nunca mais se nomeará essa raça de malvados. Por causa da maldade dos pais promoverei a matança dos filhos. Não se tornem a levantar para submeterem a terra e encherem de cidades a face da terra. "Isaias 14